Sonhada Maternidade: Maio 2016

Consulta pós-parto: o que esperar.

Olá!

Tanta coisa passa entre a primeira consulta pré-natal e o dia do parto: são exames, pesagens, medições, ultrassons, expectativas. Eis que chega o grande dia! Você só tem cabeça para aquele lindo ser que saiu de você para conquistá-la definitivamente.

Passados os dias, você se lembre: "tenho que voltar no médico". Mas não estou me referindo àquela consulta para retirada de pontos (no caso da cesárea, ou em poucos caso do parto normal) que acontece aproximadamente 10 dias após o parto, mas sim aquela consulta em que o médico te avaliará mais detalhadamente as condições clínicas da mulher após, aproximadamente, 30 dias do nascimento do bebê.

O que esperar então?


Na consulta pós-parto, o seu médico, primeiramente, vai querer saber de suas condições gerais, sua alimentação, se seu bebê está sendo amamentado ou se está utilizando leite artificial. Se seu parto foi realizado por um médico plantonista, você irá relatar como foi seu parto. A partir dessa conversa, seu médico irá partir para as recomendações:


1) Uso de um anticoncepcional: se você optar por continuar usando os anticoncepcionais orais, terá a opção de utilizar aqueles próprios para quem está amamentando (são baixa dosagem e progesterona sintética) ou continuar com aquele que você já utilizava antes de engravidar, se não amamenta. Você também terá opções como o uso de DIU e, em casos extremos, laqueadura. Pense no melhor para seu caso.

2) Análise de seu corpo: você vai pesar para ver o quanto perdeu de peso e terá sua pressão medida. Além disso, seu médico irá verificar se está tudo OK com possíveis cicatrizes (se você teve parto cesárea e alguns casos de parto normal). Seu médico avaliará se seu útero já retornou ao tamanho normal.

3) Exame preventivo Papanicolau: você só conseguirá fugir desse exame se tiver menos de um ano que foi feito. Senão...

4) Pedidos de exames: somente se necessário e dependendo de como foi sua gestação pode ser que seu médico peça exames com hemograma e glicemia.

5) Prescrição de vitaminas: somente se necessário, principalmente no caso de você estar amamentando.


Não se esqueça!

Não deixe de ir visitar seu médico após o parto. Talvez você acha que está tudo bem com você e que não é necessário. Mas é muito importante a consulta pós-parto. Estudo realizado pela Unicersidade de Johns Hopkins, nos Estados Unidos, mostra que 49,6% das novas mães não retornam ao médico após o parto.

A visita ao seu médico é importante para sua saúde.

Abraços.

visita médico pós-parto



Gravidez após os 30 anos (ou 35, 40 ...)

Olá a todas!

Hoje em dia, cada vez mais as mulheres buscam independência financeira, emocional, cultural. Ter domínio sobre sua vida e os rumos que quer dela. Não mais temos nossa vida predestinada desde a infância, destinadas a sermos donas de casa  e mãe. Se quisermos ser desempenhar apenas esse papel, o faremos, mas por escolha própria e não por uma questão de sociedade. Hoje, decidimos sobre os rumos de nossa vida.

E é nesse leque de opções, que decidimos o melhor momento para sermos mães. É aquele momento em que o sentimento maternidade aflora. Afinal, já estamos com a vida estabelecida profissional estabelecida, tendo estudado e conquistado um bom emprego e, na maioria dos casos, em um relacionamento estável.

Normalmente, quando nós mulheres já alcançamos nossas conquistas, já estamos com 30 anos ou mais. O nosso corpo já não é mais o mesmo. Nesse momento começam as preocupações: e se eu não conseguir?

Questões naturais


Já é amplamente divulgado pelos médicos que a a fertilidade feminina diminui à medida que a mulher envelhece. Desde que nascemos, já temos o número de óvulos  predefinidos e esses envelhecem conosco.

Muitas de nós, nesse momento, toma anticoncepcionais há pelo menos 10 anos (ou mais) e nunca pensou em possíveis doenças como ovários policísticos, pois com os ACs tudo estava controlado.

Além disso, com o envelhecimentos dos óvulos, questões genéticas sobre possíveis síndromes começam a rondar nossa mente. Alguns especialistas aconselham que a uma primeira gestação ocorra entre 30 e 35 anos, pois após os 35 anos a quantidade de óvulos diminui consideravelmente, tornando mais difícil (e cansativa) a busca pela gestação.

Mas é momento que de relaxar e ir atrás dessa experiência tão esperada pela mulher. Afinal, após os 30 anos já estamos maduras e seguras o suficiente para iniciar a jornada da maternidade.

E como está seu pique?


Pode ter certeza que você não tem o mesmo pique de uma mulher de 20 e poucos anos. Você vai ter que correr atrás do seu pequeno quando ele começar a andar. Correr, brincar, jogar bola. Às vezes baterá aquela impaciência... Mas vale a pena.

Lembre-se que o salto alto deverá ser dispensado nas saídas com seu filho. Afinal você vai correr atrás dele e é bom estar confortável.

E por fim, aproveite bastante, pois passa rápido.

Abraços!

gravidez após 30 anos



Amamentar emagrece?

Olá a todas!

Minha filhota completou 3 meses! Passa rápido, até parece que foi ontem.

Pois é, como acontece todo mês, é o momento de ir ao pediatra. Depois de arrumá-la, era minha vez. Peguei uma calça jeans que não usava desde a gestação e fui vestir. Aí veio o susto: que horror! A calça, que antes era justa, estava muito larga, horrível! Foi então que percebi que emagreci demais. Já sabia disso pois quando me pesei, na semana passada, vi que estava 3 kg mais magra do que me pesava antes de engravidar. Engordei 10 kg durante a gravidez e perdi 13kg! Isso só amamentando. Na minha primeira gestação não foi muito diferente pois ganhei os mesmos 10kg e perdi 12 com 3 meses de vida do meu filho. 

A amamentação exclusiva faz com que nosso corpo gaste até 700 calorias por dia! Isso tudo incluindo a produção de leite e o próprio ato de amamentar. O gasto calórico é maior nos dois primeiros meses de nascimento, diminuindo até os seis meses. 


É claro que você tem que considerar fatores genéticos nessa perda de peso. Na realidade a mulher emagrece voltando ao seu peso normal, isto é, sem aquele monte de dieta que porventura ela sempre faça. E não queira ficar sem comer para emagrecer mais ainda. Pense que seu filho necessita de nutrientes que são passados para ele pelo seu leite. Então é muito importante uma boa alimentação.

Infelizmente não estou tratando aqui daquelas que, por algum motivo, não conseguiram amamentar. Vou tratar disso posteriormente.

No meu caso, sempre tive o metabolismo rápido e sou daquelas "magra de ruim" (mesmo já tendo passado dos 30). Então não sou parâmetro para a maioria das leitoras desse blog.

Fica a dica para a amamentação:

  1. Amamente em livre demanda, não ficando bitolada com horários programados.
  2. Tome muita água para que se produza muito leite.
  3. Tenha uma boa alimentação para que os nutrientes passem para seu bebê para que ele cresça saudável.
Até mais e não se esqueça de contar sua experiência nos comentários!

amamentar emagrace
 


A amamentação logo após o nascimento: será que não tenho leite?

Você passa cerca de 40 semanas se preparando para a chegada do tão esperado filho. Nesse tempo, escuta muito sobre como é importante a amamentação, principalmente nos primeiros momentos de vida de seu filhote, já que o colostro contém uma gama de nutrientes - proteínas, água, gorduras - e anticorpos que passam da mãe para o filho.

Então, chega o grande dia: o nascimento e início da amamentação. Seu filho mama por instinto de sugar e provavelmente dormirá por um tempo, cansado do parto (tanto normal como cesárea, afinal vir ao mundo e respirar não é fácil). Com poucas horas começa a fome de verdade e ele mama, mama, mama e nunca parece saciado.

Vem a primeira noite em claro no hospital. Alguns bebês choram, outros apenas resmungam ou pouco dormem. Mas a vontade de sugar está lá. Você fica sabendo que o colostro é mais claro do que o leite, podendo ser amarelado. Assim, você começa a reconhecer seu colostro e que precisa de um volume maior do mesmo para saciar seu bebê. Aí vem a grande preocupação: cadê meu leite?

Será que não tenho leite?

Não se desespere. O importante nos três primeiros dias de nascimento é a estimulação do seio para a descida do leite. Não deixe nunca de ofertá-lo ao seu bebê. Quanto mais o neném sugar, mais rápido será a descida do leite.

Ninguém me avisou na maternidade, quando tive meu primeiro filho, o leite demorava a descer. As enfermeiras apenas perguntavam "você tem colostro?" Respondia que sim, mas sem entender pois para mim o colostro surgia apenas na primeira mamada, depois era só leite.

No meu caso, nas duas gestações, meu leite desceu no terceiro dia de nascimento dos meus filhos. E logo você notará, já que a boquinha do bebê fica branquinha durante a mamada.

Pode ser que cada organismo reaja de uma forma com relação à descida do leite. O mais importante é sempre estimular as mamas para que ela ocorra o mais rápido possível. E não se esqueça: o leite materno é o melhor alimento para seu filho!

Abraços a todas e não deixe de comentar!


sera que nao tenho leite
 

Esperar 3 meses para anunciar sua gravidez: Que difícil!

Olá amigas tentantes!

Depois de algumas tentativas ou até, para algumas, vários meses, finalmente você sai do seu banheiro com o teste de farmácia em mãos com seu tão sonhado POSITIVO! Que sensação maravilhosa! Finalmente um sonho que se realiza.

Próximo passo: contar para todo mundo sobre sua gravidez!

Espere um pouco. Já ouviu falar daquelas famosas que só contam que estão grávidas depois de 3 meses? Aí você pensa: "Que bobagem! Quero mais é colocar a boca no trombone."

Mas te digo que é bom esperar mesmo. Como dizem nossas avós, esperar o bebê vingar.

Nos três primeiros meses de gestação, há muita transformação em nosso organismo e no do pequeno feto em sua barriga. É um momento intenso tanto para o feto quanto para a gestante (não é à toa que temos tanto enjoos). Pode ser que, por algum problema genético, o feto deixe de se desenvolver e sua gestação termine em um aborto espontâneo.

"Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), no Brasil, 31% das gestações terminam em abortamento, espontâneo ou induzido, com uma taxa de 3,7 abortos para cada grupo de 100 mulheres de 15 a 49 anos. A maioria dos abortos naturais ocorre até o terceiro mês de gravidez, por esse motivo, os médicos recomendam que as futuras mamães aguardem até o final do primeiro trimestre para revelarem a novidade aos amigos e parentes." (fonte: http://www.vilamulher.com.br/familia/planejamento/anunciar-a-gravidez-medicos-recomendam-esperar-ate-o-terceiro-mes-8-1-52-73.html)

Pois é, isso é possível de acontecer e é muito doloroso (veja mais da minha experiência em Aborto espontâneo). No meu caso, quando tive meu primeiro positivo, na primeira tentativa (veja É possível engravidar na primeira tentativa?), contei para todos em minha volta. Era uma alegria sem fim. Liguei para meu marido que, cauteloso, disse: "Não sei contando para todo mundo". E acha que eu segui o conselho. Não! Queria mais era compartilhar minha felicidade. No dia seguinte ao positivo, contei para todos no meu trabalho. Mas, nesse mesmo dia, tive um pequeno sangramento à noite. Sangramento que só aumentou com o passar dos dias até o dia da perda do meu bebê (chamo de bebê sim, apesar de os médicos não concordarem).

Para muitos, principalmente pessoas mais antigas, pode haver o famoso "olho gordo". Mas prefiro acreditar que não era para ser.

Além da dor da perda, ainda tem a dor de relembrar cada vez que você tem que explicar para alguém que não está mais grávida.

Por isso aconselho a todas que conheço e a você também: espere os 3 meses para poder contar que está grávida. Pense que é uma maneira de se resguardar nesse momento de intensas mudanças em sua vida.


sonhadamaternidade.blogspot.com.br

Usar ou não usar bico (chupeta)? Eis a questão...

Há os que defendem. Há os que abominam, principalmente os que trabalham na área de saúde. Mas não dá para negar que os bicos ainda são muito utilizados pelas mães para acalmarem seus bebês.

Li muito sobre o uso do bico (ou chupeta, em algumas regiões) quando tive meu primeiro filho. Entre as principais polêmicas que envolvem esse acessório, posso citar o atraso na fala e possível deformação na dentição. Mas não vou me envolver nessas polêmicas e nem citar outras. Quero apenas falar um pouco da minha experiência com a chupeta.

Os bebês nascem com a necessidade de sugar. Dessa forma estão preparados para sugar o seio da mãe para obter seu alimento. Há bebês que são mais sugadores que outros e necessitam de algo mais para sugar. Aí entra o bico. O meu primeiro filho não era do time dos sugadores. Não aceitou o bico de jeito nenhum (olha que tentei vários). Aliás, nunca gostou de qualquer coisa em sua boca e como consequência, também não aceitou mamadeira, partindo do meu peito para cansativas tentativas com o copo.

Isso tudo teve seu lado positivo: não tive que me preocupara com as "tiradas" de bico e mamadeira dele.

Mas em compensação era difícil ele ficar na casa de alguém (como as avós) pois muitas vezes não sabiam lidar com a  situação de dar leite em um copo (era difícil, principalmente no início). No caso específico do bico, que todos diziam que "acalmam" o bebê, senti falta desse acessório na hora de dormir, assim meu filhote só dormia no colo, sendo ninado.

Porém, como dizem os antigos, dois filhos, duas experiências diferentes.

Minha menina se mostrou sugadora desde a maternidade, quando colocava os dedinhos na boca para mamar. Assim que saímos da maternidade, já compramos o bico que foi aceito de cara, sem maiores esforços. Como ela é mais agitadinha, o bico a acalma. Além disso, assim que eu percebo que ela está com sono, é só colocá-lo que ela se ajeita no berço e dorme. Não preciso nem ninar. Ela é toda independente e o bico ajuda bastante (veja mais em Como fazer o bebê dormir a noite toda?)

Não estou aqui em defesa do bico,  mas sim em defesa das necessidades dos nossos filhos. Temos que decifrar o que é melhor para eles para que essa fase após nascimento até o fim de seu primeiro ano de vida seja proveitosa tanto para eles como para nós. 

Conheça seu filho para saber o que é melhor para ele. Saiba se ele é mais sugador ou não. Você pode tentar usar o bico, mas se não der certo parta para outra.

E você? Qual é sua experiência com o bico? Deixe um comentário contando para gente!

Abraços!

chupetas

Os gráficos de crescimento do bebê te deixam louca? A mim sim!

Logo que nossos bebê nascem, há um monte de burocracia a se resolver: certidão de nascimento, exames, consultas... E, ao sair da maternidade, carregamos em mãos a Caderneta de Saúde da Criança, personalizada para menina e para menino.

Na minha época não tinha nada disso. Era somente um cartão com a marcação de vacina.

caderneta de vacinação

Hoje, além das vacinas, nas cadernetas são anotadas todos desenvolvimentos, consultas e exames que foram realizados no seu filho. Ficar sem essa caderneta ou perdê-la traz um grande transtorno (depois relatarei uma história para vocês sobre isso).

Agora vou falar para você daqueles gráficos de crescimento da criança (peso e tamanho). Aquelas cursas estão de acordo com parâmetros adotas pela  Organização Mundial de Saúde, de acordo com pesquisas de amostragem realizadas com criança do mundo inteiro. Isso mesmo: mundo inteiro.

grafico de crescimento OMS

Aí que vem o problema: e se seu  não se encaixa nesses gráficos de crescimento? Esse foi meu caso.

Até os quatro meses, meu filho mais velho cresceu e engordou acima da linha vermelha, considerado crescimento "ideal". Mas como ele é filho de pais baixos e magros, a partir dos cinco meses, não ganhou tanto peso e seu crescimento começou a ficar mais devagar. Tudo genética. Mas foi um desespero total. Remédios para abrir apetite, vitaminas, exames, mudanças de pediatra.

Até que um pediatra, muito sábio, me acalmou: "olha mãe, isso é genética. A linha de crescimento é própria do seu filho. O que importa é que ela seja crescente." Isso me acalmou. Estava cansada de pular de médico em médico, fazer exames direto.

Agora é ver se o mesmo vai ocorrer com minha filha (acredito que sim).

Então, se você acha que seu filho não segue as linhas dos gráficos de crescimento dentro do esperado, não se preocupe, pode ser apenas genética. Afinal, quem disse que seu filho tem que ser igual ao padrão de crianças do mundo inteiro?

Qualquer dúvida ou comentário, poste aí! Adorarei ler e ver que há mães como eu.

É possível engravidar na primeira tentativa?

Olá queridas! Tudo bem?

Esse post é principalmente para as tentantes e, principalmente, futuras tentantes que, assim como eu, resolveram engravidar de maneira planejada, depois de ter algumas conquistas na vida pessoal.

Sim, depois de casar, ter uma casa, um emprego estável e estudos, chega o momento de ser mãe. E muitas vezes esse momento só chega quando já estamos na casa dos 30. Até essa idade, utilizamos os mais diferenciados métodos contraceptivos.

Quando chega esse momento, nos perguntamos: é possível engravidar de primeira?

Por experiência própria digo que sim, é possível.  É claro que estou considerando uma pessoa que não tem nesse momento do, problemas que possam afetar a fertilidade, com a síndrome dos ovários policísticos, endometriose, entre outros. Esse era meu caso. Não tinha nenhum problema com meu aparelho reprodutor.

Então, quando eu e meu marido decidimos que era o momento certo, parei de tomar a pílula, que utilizava ininterruptamente há 10 anos. E, para minha grande surpresa engravidei na primeira tentativa! Afinal, como a bula dessas pílulas dizem, já no primeiro ciclo sem a medicação a mulher retorna a ovular.

Por isso, mais uma vez digo: É possível engravidar na primeira tentativa. 

Mas completo: não aconselho a tentar logo após parar a pílula ou a injeção hormonal. Nesses casos, como dizem muitas mamães mais experientes, é melhor esperar um tempo para começas as tentativas.

No caso da pílula, pelo menos dois meses. No caso da injeção, pelo menos seis meses (dependendo do tempo em que foram usadas).

Por que não aconselho a começar as tentativas logo de cara? Quando engravidei pela primeira vez, fiquei feliz de ser de primeira e não ter que passar pela ansiedade de todo o mês esperar o positivo. Mas sofri um aborto espontâneo que me abalou muito (veja meu relato). Muitas mulheres mais velhas disseram que foi pelo fato de eu não ter limpado o organismo do remédio.

Sei que isso pode ser apenas "achismos", mas é melhor prevenir do que remedir

O que vocês acham?

Dê a opinião de vocês. Aguardo ansiosa!

Abraços.

engravidar de primeira

   

4 perguntas a se fazer antes de realizar o teste de farmácia

Logo quando começamos a vida de tentante, no primeiro mês de tentativa, ficamos da expectativa de já termos nosso primeiro positivo. Então, logo no primeiro dia de atraso, corremos para usar o teste de farmácia que compramos 15 dias antes. Quanta ansiedade!

E o resultado? Uma única linha. Negativo! "Será possível", pensamos, afinal tudo foi feito direitinho. E aí chegamos à conclusão "Isso não funciona". Para completar, a menstruação chega no dia seguinte.

Saiba que dificilmente esse teste detecta HCG no na urina e, dependendo da sensibilidade do mesmo, pode ser realizado já no 1º dia de atraso menstrual.

Por experiência, nunca realizava o teste de farmácia com um dia de atraso, esperava pelo menos 10 dias (com exceção da minha segunda gestação, depois conto o porquê). Dessa forma dava tempo de acumular bastante hormônio no organismo, ou dava tempo tempo da menstruação "descer" em caso de uma ovulação tardia.


Então, quando realizar o teste de farmácia?


Para realizar o teste de farmácia, responda a si mesma as seguintes perguntas:

1) Seu ciclo é regular e quase não atrasa? Quando digo regular, refiro-me àquele que vem todo mês, ou com intervalos regulares, sejam 28, 30, 31 dias. Se sim, no primeiro dia de atraso testes muito sensíveis prometem resultados confiáveis. Eu continuo dizendo que é bom esperar mais dias, afinal algo pode ter acontecido durante o ciclo (por exemplo, uma gripe muito forte) que pode ter atrasado sua ovulação.

2) Eu treinei nos dias da provável ovulação? Não importa o tamanho de seu ciclo, normalmente a ovulação ocorre 14 antes da menstruação, isto é, a fase lútea dura cerca de 14 dias. Para saber mais qual é a duração de sua fase lútea, aconselho a medir sua temperatura basal (veja mais AQUI). Assim poderá saber o provável dia de sua ovulação e treinar muito. Você também pode realizar testes de ovulação para detectar o dia exato da ovulação.

3) Minha menstruação está atrasada? Antes do atraso menstrual, se você estiver grávida os níveis de HCG ainda são muito baixo, praticamente indetectáveis pelos testes de farmácia. Muitos desses testes (principalmente os de tiras) aconselham que se espere o atraso. Por experiência, eu aconselho esperar pelos menos oito dias de atraso para realizar o teste de farmácia.

4) Estou preparada para o resultado? Após analisar os números 1 a 3 deste post e fazer o teste de farmácia, se der negativo ou positivo, não precisa ficar desesperada e fazer mais três, quatro ou cinco outros testes. É um gasto financeiro desnecessário. Se for positivo, parta para fazer o exame de sangue. Se negativo, aguarde sua menstruação (se ela não descer, aí sim pode repetir o teste de farmácia após 15 dias ou procure um médico em caso de outro negativo). Veja mais em Teste de farmácia: estou preparada para negativo?.

Uma última observação: a não ser por um problema de fabricação do teste de farmácia, raramente eles apresentam um falso positivo. Falso negativo podem surgir pelo fato de ter realizado o teste antes ou por não seguir as instruções do fabricante. Além disso, pode ter ocorrido uma ovulação tardia.

Veja também o post Teste de farmácia: qual devo comprar?

 Gostou das dicas! Deixe um comentário caso tenha dúvidas!

Até o próximo post.

Abraços.

sonhadamaternidade.blogspot.com.br


 

Ser mulher: a força de ser mãe

Mais um ano. Mais um dia das mães!

Escrever nesse dia e tentar não ficar presa a clichês é muito difícil.

Estou tentando fugir deles, como "mãe é rainha do lar", "mãe é tudo", "mãe, você me deu a vida" e por aí vai.

Depois que me tornei mãe me senti mais forte, mais guerreira, capaz de enfrentar todas as dificuldades que possam surgir em minha vida.

Na realidade, quero trazer um trecho da música "1º de julho", do Renato Russo, que traduz muito bem essa força de ser mãe:

"Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher
Sou minha mãe e minha filha, minha irmã, minha menina
Mas sou minha, só minha e não de quem quiser
Sou Deus, tua Deusa, meu amor
Alguma coisa aconteceu
Do ventre nasce um novo coração " 

Às mamães e futuras mamães que acompanham meu blog, desejo um 


ser mulher, ser mãe feliz dia

Método Noug: quem quer aprender?

Olá a todas!

Como prometi, trago a vocês um pequeno tutoria de como utilizar Método Noug tendo como suporte de planilha de excel disponível aqui no blog (veja AQUI).

Para tanto, vamos ter como base duas datas de nascimento fictícias: 20/06/1990 para a mulher e 04/01/1987 para o homem. Esse casal resolveu iniciar suas tentativas em 2016.

Jogando os dados na planilha, temos para nossa "futura mamãe" os seguintes resultados:


método noug mae
  
Podemos ver que apareceu o número 2 (indica nascimento) no 3º ciclo dessa mulher (lembrando de olhar na coluna de mês de nascimento), correspondendo aos meses de dezembro de 2017 a março de 2018. 

O que isso significa? Por enquanto que há possibilidade de nascimento nesses meses, e que uma gravidez pode ter acontecido 9 meses antes.

Mas vamos cruzar com os dados do "futuro papai":

metodo noug pai

Nos resultados do homem, só devemos considerar o número 16, que indicará gravidez ou parto da mãe. No caso que estamos testando, o número 16 aparece no 4º ciclo do mês de nascimento desse pai. Então, haveria uma possibilidade de parto ou gravidez entre outubro de 2017 e janeiro de 2018.

Veja que há dados semelhantes entre esse homem e a mulher. Cruzando esses dados, vamos descartar os meses que não são comuns aos dois, isto é, outubro e novembro de 2017, e fevereiro e março de 2018. Sobram os meses de dezembro/2016 e janeiro/2017.

Como o número 2 e 3 na tabela feminina indicam nascimento (ver explicação no link ), o 16 que aparece na tabela masculina que estamos analisando será nascimento.

Então podemos concluir que, para esse casal, há possibilidade de nascimento de uma criança entre dezembro/2016 e janeiro/2017, e, possivelmente, essa mulher ficou grávida nos primeiros meses de 2016.

Bom, espero ter sido bem clara e te ajudado a vocês entenderem melhor as planilhas do método noug.

Para mim funcionou na minha segunda gestação.

Não se esqueçam que isso é apenas uma brincadeira, por pura diversão. 

Abraços e bons cálculos!


PS: Se não estiver enxergando bem as imagens, joguem os dados na planilha de excel que você baixou aqui no blog.

A cinta pós-parto: grande aliada na "volta" da barriga

Olá!

Tem experiências e histórias que ficam em nossa mente e nós nunca esquecemos.  Uma que conheço é sobre a cinta pós-parto.

Há 15 anos atrás, em meu primeiro emprego, conheci uma mulher com o corpo impecável. Não por causa de malhação, mas sim pelo fato de estar com tudo no lugar, sem nenhuma barriguinha sobrando. Ela tinha 33 anos na época e aparentava estar na casa dos 25, ou menos. Eu com 19 anos, fiquei impressionada com ela. Em conversas, ela me disse que tinha dois filhos, o que me espantou mais ainda: como uma mulher com dois filhos não tinha vestígio de barriga que indicasse gestação? Foi aí que ela me disse: uso de cinta pós-parto logo no dia seguinte ao parto, no caso dela, normal. Fiquei com isso na cabeça.

Quando fiquei grávida pela primeira vez, já no final da gestação, comecei a escolher a cinta. De cara fui em uma do meu tamanho, como sou pequena, PP. Além disso, comprei um daqueles shorts modeladores que comprimem o abdômen.


cinta pós-parto
Fonte imagem: http://villamariamodas.com.br/wp3/?product=trifil-impuls-bermuda-alta-redutora


Quando meu primeiro filho nasceu, de cesariana, o médico já indicou a cinta para o dia seguinte ao parto. Não consegui colocar a cinta. Lógico por que ela era do meu tamanho e eu tinha que ter comprado um tamanho acima. Então passei a usar o short, o que não adiantou muito em relação à sustentação necessária ao pós-parto cesárea. Minha mãe sugeriu que eu usasse uma faixa bem apertada e usasse o short por cima para que eu tivesse a sustentação necessária. Somente duas semanas depois consegui colocar a cinta. Com a amamentação, minha barriga voltou ao lugar com 2 meses e meio.

Já na segunda gestação, disse a mim mesma que não cometeria o mesmo erro. Afinal, a cinta não beneficia apenas a volta dos órgãos internos ao lugar, mas também auxilia a mãe em seu dia-a-dia após o parto, lhe proporcionando postura e conforto. Comprei uma cinta P e o short cinta. No dia seguinte ao parto (cesárea novamente), já confirmei com a enfermeira se podia colocar a cinta e ela disse que estava liberado. Tomei um banho, vesti o short modelador, me deitei na cama (importante) e coloquei a cinta. Eu andava pelo quarto do hospital parecendo que tinha tido parto normal. Com muita amamentação e usando a cinta diariamente, minha barriga voltou ao normal antes de um mês e meio após o parto.

cinta
Fonte imagem> https://www.casasofia.com.br/cinta-modeladora-body-shaper-cotton-esbelt


É claro que estou tratando aqui da barriga voltar ao que era antes do parto, considerando também que a gestante não ganhou peso em exagero. 

Além disso, há médicos que não aconselham o uso da cinta antes de 2 semanas após o parto. Consulte-o e converse com ele para saber o que é melhor no seu caso.

Veja também 6 coisas que você deve saber sobre as cesáreas e o uso das cintas.

Volto para contar mais experiências.

Abraços.
Topo