Sonhada Maternidade

Benefícios do chá de framboesa vermelha para quem quer engravidar

Olá a todas!

Quando se está tentando engravidar, você procura muitas informações sobre métodos naturais que possam ajudar nesse processo, seja melhorando sua saúde ou facilitando processos (ovulação, implantação, entre outros). Hoje trago para você mais informações sobre o chá de folhas de framboesa vermelha e como ele pode ajudar as tentantes a engravidar.


Benefícios do chá de folhas de framboesa vermelha


O chá de folhas de framboesa vermelha é uma bebida muito saborosa e utilizada há milhares de anos pelos seus benefícios homeopáticos. Um dos principais benefícios e o que mais tem feito mulheres a utilizar esse chá são suas propriedade que podem ajudar a engravidar.

As folhas de framboesa vermelha são ricas em vitamina E, vitamina C, vitaminas do complexo B, vitamina A, cálcio, ferro, fósforo, potássio entre outros. Com todos essas vitaminas e minerais o organismo como um todo fica mais saudável, e o útero fica mais tonificado e fortalecido, preparado para receber o embrião.


folhas e frutos framboesa


Chá de folhas de framboesa ajuda a engravidar?   


Esse chá não é como o chá de inhame que atua diretamente na ovulação da mulher. Pensando dessa forma, o chá de folhas de framboesa auxiliaria pouco a engravidar. Mas como essa planta é rica em vitaminas, ele auxilia na reposição de vitaminas, e o organismo em bom funcionamento e com as reservas das mesmas estando adequadas, você não terá dificuldades em engravidar por motivo de falta de nutrientes para seu corpo.

Afinal, se você estiver com deficiência de vitaminas, a tarefa de tentar engravidar será mais trabalhosa.

Fortalecendo o organismo, o chá de folhas de framboesa atua na prevenção de aborto espontâneo e auxilia no aumento da espessura do endométrio.

Ao contrário de outros chás (como o de inhame, uxi-amarelo, unha-de-gato), esse chá pode ser consumido o ciclo inteiro.

Como se faz o chá?


Assim como muitos chás, você pode encontrar as folhas de framboesa para fazer a infusão em saquinhos ou in natura.

1) Ferva a água;

2) Se for fazer o chá de saquinho, sirva em uma xícara, coloque o saquinho e deixe por 10 minutos e pode consumir.

3) Se for fazer com as folhas, adicione algumas folhas e deixe em infusão por 10 minutos e pode consumir.

Se você achar necessário, pode adoçar.

O chá pode ser tomado de 2 a 3 vezes por dia, mas não deve ser guardado. Cada vez que você for tomar, tem que fazer um novo.

Mesmo não tendo maiores contra-indicações para gestante, é aconselhável conversar com um médico sobre riscos de chá durante a gravidez (veja mais em CHÁS QUE GRÁVIDAS NÃO PODEM TOMAR).


xícara de chá


E então? Você já utilizou o chá de folha de framboesa? Qual o resultado? Pretende tomar para ajudar em suas tentativas de engravidar? 

Compartilhe experiências! Deixe seu comentário!

Abraços






CineMaterna: cinema para mamães e bebês

Olá a todas!

Não é pelo fato de termos nos tornado mães que devemos deixar de aproveitar um bom cineminha. Mas, aí você vai me perguntar: mas como se estou amamentando e não tem como eu deixar meu pequeno (e, muitas vezes, você não quer) com alguém.

Então saiba que há uma excelente opção para as mamães (e papais) que querem assistir a um filme e ainda ter a companhia de seu filhote: o CineMaterna.


O que é o CineMaterna?


logotipo
Fonte imagem:http://www.cinematerna.org.br/


Fundada em 2008, a associação CineMaterna nasceu a partir da vontade de um grupo de discussão de mães que tratavam do parto humanizado e maternidade ativa. Essas mães relatavam a saudade que sentiam de ir ao cinema após o nascimento dos seus filho.

Numa atitude inovadora e desafiadora, dez dessas mães vão a uma sessão de cinema com seus filhos no colo. A partir daí, elas começam a ter encontros semanais e, passado um tempo, uma rede de cinema adota o grupo e passa a reservar sessões para o CineMaterna.

As salas destinadas ao CineMaterna apresentam climatização adequada para bebês, além de possuir trocadores e um tapete especial na primeira fila para aquelas que não queiram utilizar as poltronas.

Os filmes são para as mamães, por isso possuem temática adulta exatamente para elas curtirem aquele momento.

Há sessões em vários cinemas do Brasil (veja as sessões AQUI)  e para assisti-las seu bebê deve ter no máximo 18 meses. Pais e outros acompanhantes também são bem-vindos.


Minha experiência


Conheci o CineMaterna quando meu primeiro filho nasceu. Ganhei na maternidade um voucher com validade de 18 meses. Fiquei curiosa mas não arrisquei a sair com meu filhote de casa. Insegurança de mãe de primeira viagem.

Com o nascimento da minha filha, na mesma maternidade, ganhei novamente o voucher, e desta vez tive a coragem de experimentar. Ela estava com 8 meses. Foi muito bom poder ver um filme sem maiores preocupações e com minha bebê junto. Foram quase duas horas mas que passaram super rápido e tranquilas. Vale a pena as mamães experimentarem.



cinema


E você? Já tinha ouvido falar no CineMaterna? Se sim, como foi sua experiência? Se não, tem vontade de conhecer?

Compartilhe sua experiência! Deixe seu comentário!

Abraços.


Endométrio fino e dificuldade para engravidar

Olá a todas!

O endométrio é um tecido que recobre a parede interna do útero sendo o local onde o embrião irá se instalar assim que chega ao útero. Sua espessura varia de acordo com cada fase do ciclo menstrual. Mas quando se chega na fase ovulatória e ele não possui a espessura esperada, ele é considerado um endométrio fino (ou atrófico).

Quando o endométrio é considerado fino para engravidar?


Quando se quer engravidar, os hormônios femininos devem estar em sintonia para que o organismo funcione bem. O descontrole de algum hormônio pode (eu disso pode, não é totalmente regra) dificultar a ocorrência de uma gravidez.

No caso do endométrio, a falta de progesterona, devido ao uso prolongado de anticoncepcionais hormonais, pode impedir o crescimento adequado do endométrio.

A espessura mínima para a implantação do embrião no endométrio é de 8mm, podendo chegar a 18mm. Após sua descamação durante a menstruação, ele se regenera e na fase ovulatória já deve estar, pelo menos, com esse tamanho (ou próximo a ele).

Se sua regeneração for lenta, ou chega a um ponto que não desenvolve mais do que 6mm, então esse endométrio é considerado fino ou atrófico, o que dificulta a implantação do embrião e o desenvolvimento da gestação.

Somente é possível saber se seu endométrio está fino realizando exames de ultrassonografia.


tamanho do endométrio para engravidar


O que pode atrapalhar o endométrio desenvolver?


Como eu disse anteriormente, a falta de progesterona impede o crescimento adequado do endométrio.

O uso de anticoncepcionais hormonais durante muito anos faz que o organismo demore um pouco mais a funcionar adequadamente após você parar o uso para tentar engravidar. Na maioria das vezes, basta 3 meses sem utilizar essa medicação para que o endométrio volte a crescer adequadamente. Mas isso não é regra, depende do organismo de cada mulher.

Os anticoncepcionais injetáveis são os que mais afetam o organismo feminino, sendo necessário mais tempo para que seu corpo volte ao funcionamento hormonal adequado.


Tratamento


O tratamento para o caso de endométrio fino é a reposição de progesterona. Na maioria dos casos somente essa reposição é suficiente para engrossar o endométrio.

Somente se houver um afinamento mais severo é que seu médico poderá indicar outros medicamentos. Mas nunca utilize medicação sem orientação médica.

Há maneiras naturais de aumentar a espessura do endométrio, como o consumo de alimentos ricos em vitamina E (amêndoas em geral, semente de girassol, entre outros), assim como o uso de cápsulas dessa vitamina. Além disso, o consumo de chá das folhas de framboesa que, ao contrário da maioria dos chás, pode ser usado durante todo o ciclo.


Então...


Você já foi diagnosticada com endométrio fino (ou atrófico)? Qual foi o tratamento?

Compartilhe experiências! Deixe seu comentário!

Um abraço

Teste do pezinho: diferença entre SUS e particular

Ainda durante a gestação você já fica sabendo que há uma série de testes e exames que seu bebê fará desde o nascimento até o fim do primeiro mês de vida. O mais antigo e conhecido é o Teste do Pezinho. Mas você sabia que há diferença entre o teste realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e o realizado na rede particular?

O que é o Teste do Pezinho?


O teste do pezinho é o nome popular do Teste Guthrie (sobrenome do médico Robert Guthrie que criou o teste) e é realizado no recém-nascido, após as primeiras 48 do bebê de vida até seu 5º dia de vida. Esse teste chegou ao Brasil em 1976, mas somente em 1992 passou a ser obrigatório.

O teste é realizado a partir de um furinho feito com uma agulha no calcanhar do recém-nascido, de onde ocorrerá a coleta de gotinhas de sangue do bebê. Essas gotinhas são pingadas em um papel próprio, do tipo mata-borrão, e nele são realizados os exames.

Muitas mães ficam preocupadas com a dor que o bebê possa sentir com a picada, mas é uma dorzinha rápida. Na grande maioria das vezes, o bebê chora. Mas você tem que lembrar que esse teste detecta doenças e isso é de extrema importância.

O teste do pezinho é encontrado na versão Básica, Mais e Super, sendo que essa última pode detectar até 48 patologias. A versão básica é oferecida gratuitamente pelo SUS e as versões mais completas, na rede privada.


teste do pezinho


Qual é a diferença entre o teste do pezinho realizado pelo SUS e Particular?

Pelo Sistema Único de Saúde, o teste é realizado, em sua maioria, pelos postos de saúde, e é realizado sua versão básica, que detecta 6 doenças:

  • fenilcetonúria: doença genética caracterizada pela diminuição de uma enzima ligada ao metabolismo do aminoácido fenilalanina.
  • hipotireoidismo congênito: baixa produção dos hormônios da tireoide, essenciais para o desenvolvimento, principalmente do sistema nervoso.
  • fibrose cística: doença genética caracterizada pelo transporte deficiente do cloro e sódio nas membranas celulares, o que pode causar um muco espesso e esse muco pode causar obstrução dos pulmões
  • anemia falciforme: anemia hereditária em que o formato dos glóbulos vermelhos prejudica a passagem dos mesmos pelas veias e artérias
  • hiperplasia adrenal congênita: causa alteração do desenvolvimento dos órgãos genitais externos de meninos e meninas.
  • deficiência biotinidase: doença genética caracterizada por um defeito da utilização da vitamina B7 que vem da alimentação pelo organismo.



Na rede privada, além da triagem Básica, são realizadas a triagem Mais e Super. A Mais detecta mais 4 doenças:

  • deficiência de G-6-PD: a deficiência dessa enzima causa instabilidade das membranas dos glóbulos vermelhos, podendo facilitar o aparecimento de anemias hemolíticas.
  • galactosemia: grupo de doenças genéticas que caracteriza-se pela dificuldade do organismo em metabolizar a lactose. Não deve ser confundida com intolerância à lactose.
  • leucinose: doença hereditária em que o organismo não consegue processar corretamente certos aminoácidos (lisina, isoleucina e valina).
  • toxoplasmose congênita: doença grave que pode ter sido transmitida da mãe para o bebê se ela tiver tido a doença durante a gravidez. Causa sequelas neurológicas graves e inflamações na retina.
A triagem Super, também realizada apenas na rede privada, detecta cerca de 48 patologias. Elas não serão descritas aqui (pois são muitas), mas se você quiser saber mais sobre elas, veja esse site http://pt.calameo.com/read/0013472527b5d17d26e9a que possui uma cartilha completa elaborada pela APAE de São Paulo com todos os exames realizados no teste do pezinho.

O teste do Pezinho é de extrema importância para se detectar doenças congênitas no bebê, não importa se realizado na rede pública ou particular. Se você já tiver histórico de alguma doença que possa ser detectada pelo teste e seu bebê tiver feito o teste básico, avise o pediatra para que seja solicitado um teste mais completo.

A importância desse teste fez com que fosse instituído, pelo Ministério da Saúde, o Dia Nacional do Teste do Pezinho, no dia 06 de junho.


06 de junho dia teste do pezinho


Como foi sua experiência com o teste de seu filho? Ele chorou muito ou quase não sentiu nada? Você teve resultado positivo para alguns dos exames realizados? Compartilhe experiências? Deixe seu comentário.

Abraços e até o próximo post!



Engravidar utilizando homeopatia: folliculinum e ovarium

Quando se está tentando engravidar e, depois de poucos meses, o positivo não vem, você começa a correr atrás de alternativas que aumentam a fertilidade, estimulem a ovulação, limpe o útero, entre outros. Para aquelas que procuram alternativas "menos agressivas" temos a homeopatia. Há no mercado dois medicamentos homeopáticos que ajudam as tentante: o folliculinum e o ovarium.

Folliculinum


O folliculinum é feito a partir da estrona, uma forma sintética do estrogênio. Sua função é restaurar as funções do organismo, principalmente a reprodutiva. Essas funções podem estar desreguladas, por exemplo, por causa de uso prolongado de anticoncepcionais (principalmente os injetáveis).

Além disso, auxilia mulheres que possuem SOP que possuem ovulação desregulada ou episódios de anovulação.

Ao regular as funções ovulatórios, ele acaba por estimular a ovulação em mulheres que possuem baixa reserva ovariana e FSH (hormônio folículo-estimulante) alto, uma vez que atuam sobre o amadurecimento dos folículos que liberarão os óvulos e regulam a ação do FSH.

Além dos efeitos positivos para o corpo, há também para a mente. O folliculinum combate o stress e a ansiedade, muito comum nesse momento de tentativas.




homeopatia


Ovarium


O ovarium é composto por diferentes componentes homeopáticos que atuam em diferentes "frentes" da fertilidade feminina. Dessa forma, seus componentes auxiliam todo o processo que envolve o ciclo reprodutivo da mulher, desde os pré-ovulatórios até a descida da menstruação, se não houver fecundação.

O ovarium atua na regulação do ciclo menstrual, ajudando mulheres que têm dificuldade de engravidar por causa de ciclos desregulados. E no caso das mulheres que estão entrando na menopausa, auxilia nos incômodos da causados pelas mudanças hormonais desse período.


Como utilizar o folliculinum e o ovarium?


O folliculinum e o ovarium devem ser utilizados juntos pelas mulheres que estão tentando engravidar, pois um potencializa a ação do outro.

A indicação padrão dos dois compostos é de 6CH (número de diluição dos componentes), por isso você vai ver os nomes folliculinum CH6 e ovarium 6CH. Eles são encontrados em farmácias homeopáticas, podendo, ou não, ser exigida receita para a manipulação.

Eles podem ser utilizados desde o primeiro dia da menstruação até o dia da provável ovulação.  Deve-se tomar 5 gotas, de 4 a 6 vezes por dia.

Como todo medicamento homeopático só apresenta resultados a longo prazo, o folliculinum e o ovarium podem ser utilizados por tempo indeterminado, até que se consiga engravidar.


Você já experimentou o folliculinum ou ovarium? Quais os resultados? E se ainda não usou, tem interesse?

Compartilhe sua experiência! Deixe seu comentário!

Abraços!


Topo