Menino ou menina? Quem define o sexo é o Pai!

Olá amoras!

Muitas de vocês, leitoras do blog, estão tentando engravidar pela primeira vez. Outras já estão na segunda, terceira ou mais tentativas. Algumas já desejam ter um menino, outras querem uma menina. Para muitas o sexo da criança não importa, o que importa é ter o filho nos braços. Mas você sabia que quem define o sexo da criança é o homem?

Sim, são os homens! E isso não é nenhuma ideia machista daquelas que se espalham por aí. É apenas genética!



cromossomos

As células do corpo humano são formadas por 23 pares de cromossomos (mais ou menos do que isso podem gerar síndromes como o Down), totalizando 46. 23 desses cromossomos são provenientes do homem e 23 da mulher. E onde se encontram esses cromossomos? Nos óvulos e os espermatozoides.

Os óvulos apresentam, em sua constituição, o cromossomo X e os espermatozoides apresentam X e Y. O X é responsável pela determinação do sexo feminino e  o Y pelo sexo masculino.

Agora a grande pergunta: Se a mulher só possui o X e o homem possui X e Y, quem determina o sexo do bebê? O homem!

Quando o gameta masculino (espermatozoide) X se une ao óvulo (que só é X) tem-se um bebê do sexo feminino. Mas se o espermatozoide Y se une ao gameta feminino X, pela diferenciação, tem-se um bebê do sexo masculino. Fácil a conta, não?

união dos 23 pares de cromossomos


Em um primeiro momento, de modo geral, o homem possui o mesmo número de gametas com cromossomos X e Y, isto é, 50% de cada. Mas isso não é regra. Dependendo de certos fatores (tanto internos como externos) pode ser que seja produzido mais de um do que de outro. Mas isso não é regra.
Independente do sexo, o importante é que ter seu filho nos braços e sentir a maior sensação do mundo que é a maternidade.

 
Tem alguma dúvida e alguma experiência para compartilhar? Deixe seu comentário! É muito bom compartilharmos experiências.

Abraços.

Quebra-cabeça: brinquedo inteligente

Olá a todas!

Sabe aquele brinquedo que não tem idade e que mesmo com o passar dos anos continua atemporal? Pois é, esse brinquedo é o quebra-cabeça.

Segundo o site Canal do Ensino, acredita-se que esse brinquedo tenha surgido pelas mãos de um cartógrafo do século XVII (aproximadamente 1760) chamado John Spilsbury,  que colou mapas em pedaços de madeira e depois cortou em diferentes partes com a intenção de ajudar crianças a aprender geografia. A ideia foi tão boa que até hoje essas peças são utilizadas na aprendizagem infantil, é claro que em diversas áreas e não são na geografia. 

O quebra-cabeça é um brinquedo que ajuda a desenvolver o raciocínio lógico, a capacidade de concentração e memorização. Alguns estudiosos afirmam que esse simples brinquedo é capaz de auxiliar nos processos de amadurecimento e resoluções de questões de cunho psicológico.

É um brinquedo que estimula, também, maior interação entre pais e filhos, no momento em que os pais sentam com seus filhos ora para ensiná-los, ora para montar junto. Pode ter certeza que você terá ótimos momentos brincando com seu filho.

imagem de quebra-cabeça do pixabay



Fique de olho na faixa etária!


O quebra-cabeça é indicado para crianças acima de 2 anos, pois nesse momento da vida a criança já tem maior coordenação, interesse e curiosidade, além de compreender melhor como funciona esse brinquedo.

É claro que você não dará a seu filho de 2 anos um quebra-cabeça de 50 peças. Há no mercado uma infinidade de modelo que estão de acordo com cada faixa etária.

Para os menores, há os livro de história em que cada página há um pequeno quebra-cabeça que possui entre 4 ou 6 peças. Aqui em casa começamos com um desse, com a história dos Três Porquinhos.


quebra-cabeças


A medida que meu garoto foi crescendo, o número de peças foi aumentando, e a dificuldade também. Com 4 anos, meu garoto já se arrisca com quebra-cabeças de 36, 40 peças! E ele adora.


quebra-cabeça

quebra-cabeça


As caixas e/ou livros de quebra-cabeça possuem a faixa etária apropriada de acordo com o número de peças que ele possuem.

E aí? Que tal aproveitar o fim de semana para brincar com seu filho com um brinquedo que, além de divertido, estimula a inteligência?

Se você tem alguma experiência legal com quebra-cabeças, conte para a gente nos comentários. Há muitas pessoas que adorarão saber.

Abraços!

A importância do brincar na primeira infância

Olá!

Hoje em dia, cada vez mais as crianças têm deixado de brincar para utilizar computados e/ou celulares, para ver vídeos, jogar ou participar de redes sociais (os maiorzinhos). Não que as crianças não devam ter acesso às tecnologias, afinal elas estão cada vez mais presentes em nossas vidas, mas tudo tem que ser com moderação, principalmente na chamada primeira infância (6 primeiros anos de vida). 

Nessa fase que a criança passa por intensos processos de desenvolvimento, tanto físico quanto mental, de sociabilidade e de aquisição de linguagem. Assim, nessa fase a criança deve ser sempre estimulada para que se desenvolva e atinja o máximo de sua capacidade cognitiva.

São nos momentos em que estão brincando é que as crianças desenvolvem a capacidade de atenção, memória, imitação e imaginação.

Dessa forma, deixar a criança correr, pular, colocar os pés no chão, interagir com outras crianças é importante para seu desenvolvimento. Já vi pais saindo para a praça com bebês e colocando um tablet no carrinho da criança com vídeos da Galinha Pintadinha para ela assistir enquanto passeiam. Onde fica a interação com a natura e com os pais nessa situação?


brinquedos ao ar livre


São em passeios como esses que as crianças podem interagir com os pais que, muitas vezes trabalham e quase não têm tempo durante a semana; contato também com os crianças que possam estar no local, aprendendo a socializar.

Brinquedos, brincadeira, passeios em parques e praças. Crianças têm que correr, brincar ao ar livre, ter brinquedos que ajudem a desenvolver a inteligência e a capacidade de interagir com as pessoas.

Um blog muito legal chamado Na pracinha trata exatamente desse tempo e espaço da criança para que ela brinque. Não só brincar por brincar, mas o regaste pelo brincar ao ar livre, com interação com os pais e os ambientes públicos da cidade (praças, parques, entre outros). Além disso, o blog traz uma agenda de atividades e eventos para para e filhos se divertirem juntos. A agendo do blog é para eventos em Belo Horizonte (cidade das autoras Flávia Pellegrini e Miriam Barreto), mas você de outras cidades do país pode procurar os eventos de sua localidade.


imagem do Pixabay



Pensando nesse momento da vida da criança, em que ela está em pleno desenvolvimento cognitivo, a partir dessa semana trarei sugestões de brinquedos e brincadeiras que estimulem seu desenvolvimento e estreite os laços entre pais e filhos. Para encontrar as dicas, vá lá no marcador Vamos brincar!

Dê uma passada lá todas as sextas-feiras para ver as novidades e ter ideias de como divertir com seu filho.

Quer dar alguma sugestão, deixe-a nos comentários. Adorarei conhecer novas atividades que estimulem a relação pais e filhos e o cognitivo infantil.

Abraços a todas!

E até o próximo post!


Topo