Teste do pezinho: diferença entre SUS e particular - Sonhada Maternidade

Teste do pezinho: diferença entre SUS e particular

Ainda durante a gestação você já fica sabendo que há uma série de testes e exames que seu bebê fará desde o nascimento até o fim do primeiro mês de vida. O mais antigo e conhecido é o Teste do Pezinho. Mas você sabia que há diferença entre o teste realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e o realizado na rede particular?

O que é o Teste do Pezinho?


O teste do pezinho é o nome popular do Teste Guthrie (sobrenome do médico Robert Guthrie que criou o teste) e é realizado no recém-nascido, após as primeiras 48 do bebê de vida até seu 5º dia de vida. Esse teste chegou ao Brasil em 1976, mas somente em 1992 passou a ser obrigatório.

O teste é realizado a partir de um furinho feito com uma agulha no calcanhar do recém-nascido, de onde ocorrerá a coleta de gotinhas de sangue do bebê. Essas gotinhas são pingadas em um papel próprio, do tipo mata-borrão, e nele são realizados os exames.

Muitas mães ficam preocupadas com a dor que o bebê possa sentir com a picada, mas é uma dorzinha rápida. Na grande maioria das vezes, o bebê chora. Mas você tem que lembrar que esse teste detecta doenças e isso é de extrema importância.

O teste do pezinho é encontrado na versão Básica, Mais e Super, sendo que essa última pode detectar até 48 patologias. A versão básica é oferecida gratuitamente pelo SUS e as versões mais completas, na rede privada.


teste do pezinho


Qual é a diferença entre o teste do pezinho realizado pelo SUS e Particular?

Pelo Sistema Único de Saúde, o teste é realizado, em sua maioria, pelos postos de saúde, e é realizado sua versão básica, que detecta 6 doenças:

  • fenilcetonúria: doença genética caracterizada pela diminuição de uma enzima ligada ao metabolismo do aminoácido fenilalanina.
  • hipotireoidismo congênito: baixa produção dos hormônios da tireoide, essenciais para o desenvolvimento, principalmente do sistema nervoso.
  • fibrose cística: doença genética caracterizada pelo transporte deficiente do cloro e sódio nas membranas celulares, o que pode causar um muco espesso e esse muco pode causar obstrução dos pulmões
  • anemia falciforme: anemia hereditária em que o formato dos glóbulos vermelhos prejudica a passagem dos mesmos pelas veias e artérias
  • hiperplasia adrenal congênita: causa alteração do desenvolvimento dos órgãos genitais externos de meninos e meninas.
  • deficiência biotinidase: doença genética caracterizada por um defeito da utilização da vitamina B7 que vem da alimentação pelo organismo.



Na rede privada, além da triagem Básica, são realizadas a triagem Mais e Super. A Mais detecta mais 4 doenças:

  • deficiência de G-6-PD: a deficiência dessa enzima causa instabilidade das membranas dos glóbulos vermelhos, podendo facilitar o aparecimento de anemias hemolíticas.
  • galactosemia: grupo de doenças genéticas que caracteriza-se pela dificuldade do organismo em metabolizar a lactose. Não deve ser confundida com intolerância à lactose.
  • leucinose: doença hereditária em que o organismo não consegue processar corretamente certos aminoácidos (lisina, isoleucina e valina).
  • toxoplasmose congênita: doença grave que pode ter sido transmitida da mãe para o bebê se ela tiver tido a doença durante a gravidez. Causa sequelas neurológicas graves e inflamações na retina.
A triagem Super, também realizada apenas na rede privada, detecta cerca de 48 patologias. Elas não serão descritas aqui (pois são muitas), mas se você quiser saber mais sobre elas, veja esse site http://pt.calameo.com/read/0013472527b5d17d26e9a que possui uma cartilha completa elaborada pela APAE de São Paulo com todos os exames realizados no teste do pezinho.

O teste do Pezinho é de extrema importância para se detectar doenças congênitas no bebê, não importa se realizado na rede pública ou particular. Se você já tiver histórico de alguma doença que possa ser detectada pelo teste e seu bebê tiver feito o teste básico, avise o pediatra para que seja solicitado um teste mais completo.

A importância desse teste fez com que fosse instituído, pelo Ministério da Saúde, o Dia Nacional do Teste do Pezinho, no dia 06 de junho.


06 de junho dia teste do pezinho


Como foi sua experiência com o teste de seu filho? Ele chorou muito ou quase não sentiu nada? Você teve resultado positivo para alguns dos exames realizados? Compartilhe experiências? Deixe seu comentário.

Abraços e até o próximo post!



Um comentário

  1. Olá
    Meu bebê fez o teste do pezinho no dia seguinte ao seu nascimento, na maternidade onde nasceu. Quase não chorou e não deu positivo para nenhuma doença, graças a Deus.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir

Topo