Pós-parto e diástase reto abdonominal: o que é isso? - Sonhada Maternidade

Pós-parto e diástase reto abdonominal: o que é isso?

Olá a todas!

O corpo da mulher sofre muitas alterações durante a gestação. São alterações físicas e hormonais que podem passar após o parto ou marcar nosso corpo, como é o caso das estrias. Descobri mais uma modificação em nosso corpo e trouxe para você conhecer também: a diástase reto abdominal.

O que é o músculo reto abdominal?


O reto abdominal é um músculo que fica na barriga de forma longitudinal e que é divido em duas partes. Esse músculo, quando trabalhado, vira a famosa barriga tanquinho.

Como ele é dividido em duas partes, durante a gestação, com o aumento do bebê, e consequentemente da barriga, esse músculo se distende para a acomodação do útero.


www.sonhadamaternidade.com.br
 Fonte da imagem: Pinterest


 O que é a diástase do reto abdominal?

A diástase trata-se do afastamento entre dois elementos anatômicos distintos, no caso específicos que estou relatando, os músculos presentes no abdômen.

Em outras palavras, durante a gestação esse músculo é distendido e pode acontecer dos mesmos se separarem. No caso de separação dos músculos temos a diástase. Mesmo passado o período de recuperação no pós-parto, os músculos podem não voltar totalmente ao lugar, deixando uma fenda entre eles que vai dos seios até abaixo do umbigo.


www.sonhadamaternidade.com.br
 Fonte da imagem: Pinterest


A diástase pode ocorrer por causa de alguns hábitos da gestante, como a má postura durante a gestação ou falta de atividades físicas que fortaleçam essa região antes da gestação. Mas também pode estar relacionada ao porte físico da mulher, como é o caso de mulheres pequenas que dão a luz a bebês muito grandes.

Reportagem presente no site da Revista Cláudia, há o relato da cantora Sandy que sofreu o problema após o parto de seu filho. Ela atribuiu o fato ao tamanho de Théo quando nasceu. Como ela é pequena e o bebê grande, seu músculo apresentou diástase.

Prevenção e tratamento

Para prevenir a diástase depende de planejamentos futuros. Por que estou dizendo isto? Porque você já deve pensar no fortalecimento dos músculos do abdômen antes mesmo de pensar em engravidar. Praticar atividades físicas e ter uma alimentação saudável que fortaleça seu organismo é fundamental. Além disso, ter uma boa postura durante a gestação pode auxiliar na prevenção da diástase.

Já o tratamento para a diástase reto abdominal não é tão fácil quanto a prevenção. Nos casos em que o vão não ultrapassa 2 centímetros, exercícios físicos apropriados para esse caso (como abdominais) são capazes de minimizar a abertura existente entre os músculos, tornando-o quase imperceptível.

A solução mais drástica, principalmente para aberturas maiores que 2 cm, é uma cirurgia plástica em que os músculos unidos por meio de uma costura, diminuindo a distensão.

Cá para nós, passar por uma cirurgia não é nada fácil, ainda mais um procedimento caro como é o caso da cirurgia plástica. Então é melhor prevenir do que remediar.


Concluindo

Não precisa desesperar pois nem toda mulher tem diástase do reto abdominal, podendo atingir cerca de 30% das gestantes.

O importante é se cuidar, mantendo uma dieta saudável e o corpo preparado fisicamente para uma gestação.

Mas se você já passou pela gestação e teve a diástase, bora fazer exercícios abdominais? Procure uma academia ou um bom preparador físico para fazer os exercícios de maneira correta.

Um abraços a todas!


VOCÊ PODE QUERER LER TAMBÉM...

A cinta pós-parto: grande aliada da "volta" da barriga



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Topo